CAPA 28Nota Editorial


Estimado(a) Leitor(a),


Colocamos à sua disposição a Revista UDZIWI-Revista de Educação da Universidade Pedagógica (UP), Centro de Estudos de Políticas Educativas (CEPE).
Este é o número 28 e apresenta um total de 14 artigos, de temáticas diversificadas, todas ligadas à educação.
O primeiro artigo “Língua, cultura e intercompreensão: Como incluir para uma educação para todos?” de Amélia Lemos, analisa aspectos da língua e cultura que podem contribuir para a exclusão, na escola e na sala de aulas. Aborda o fenómeno de exclusão na perspectiva da língua e cultura, tendo em conta que a heterogeneidade de línguas e culturas criam de maneira sistemática manifestações de conflitos, de superioridade, de desigualdade e outras. No estudo a autora propõe, através da noção de identidade e intercultura, algumas sugestões para a promoção da inclusão.
O segundo artigo intitulado “Políticas públicas de educação do Ensino Básico: percepções dos actores do processo educativo na escola” de Faira Ibrahimo, António Supeia, Guilherme Basilio e António Cipriano, apresenta uma reflexão sobre as percepções dos professores, directores de escolas e gestores centrais sobre as Políticas Públicas de Educação do Ensino Básico (PPEB). Os autores consideram que existe um défice de conhecimento dos principais actores do processo educativo das escolas em relação às PPEB. Neste contexto, sugerem acções de consciencialização às escolas e outras instituições gestoras para maior difusão das PPEB e sua implementação.

O terceiro artigo, de Madalena António Bive e Pedro António Pessula, intitulado “Didácticas e Práticas de Ensino em Moçambique:a narrativa de uma professora de Educação Física e Desporto”, descreve a trajectória de vida profissional de uma professora de Educação Física e Desporto e identifica o seu contributo para a Didáctica de Educação Física nos cursos de formação de professores. Este estudo serve de inspiração e motivação para quem queira abraçar o professorado em Educação Física, bem como a desconstrução de tabus e mitos existentes na prática do Desporto para as raparigas, na sociedade moçambicana.
O quarto artigo “Pressupostos de avaliação na Alfabetização e Educação de Adultos e no Ensino Básico” da autoria de António Salvador Domingos Espada, analisa a actual modalidade de avaliação de educandos adultos que frequentam a Alfabetização e Educação de Adultos até a conclusão do Ensino Básico. O autor conclui que os três tipos de avaliação, actualmente, em vigor não se afiguram praticáveis, principalmente para os educandos adultos, devido ao rácio aluno/professor que em média é de 1/60 e não obedecem a pressupostos andragógicos.
O quinto artigo “Percepções dos professores sobre as avaliações trimestrais e distritais no Ensino Básico: caso da Escola Primária Completa da Serra da Mesa – Cidade de Nampula” de António Santos João, analisa o processo de avaliações distritais. Os resultados indicam que os professores percebem que as avaliações distritais não permitem avaliar as verdadeiras competências dos alunos, porque durante a realização, muitos professores alteram as perguntas, substituindo por outras, quando descobrem que não deram determinados conteúdos, outros fornecem respostas que aparecem no guião de correcção e os alunos copiam, para através de notas e informações dos relatórios, produzir-se uma impressão de que os professores trabalham bem e os alunos aprendem melhor.
O sexto artigo, de Albino Timóteo intitulado "Avaliação dos factores causais do rendimento escolar da Matemática na 7ª classe", visa conhecer as concepções dos professores que leccionam a disciplina de Matemática na 7ª classe do Ensino Básico em quatro escolas; sobre avaliação dos factores causais do rendimento escolar na Matemática. O autor conclui que os professores centram-se no processo de aprendizagem, embora mostrem dificuldades de delinear e aplicar estratégias adequadas para evitar e combater o insucesso escolar na Matemática. Sugere que os professores melhorem as estratégias de ensino; os alunos empenhem-se mais nos trabalhos de estudo, serem atentos nas aulas, pontuais e assíduos; os pais apoiem cada vez mais os seus filhos em tudo o que for necessário; o Ministério de Educação melhore as políticas de Educação, a formação de professores e garanta os recursos de ensino.
O sétimo artigo intitulado “A monodocência e as dificuldades dos professores no domínio das diferentes áreas curriculares: reflexão sobre as escolas do Ensino Primário em Angola” de Anilca Narciso dos Santos, analisa as principais dificuldades que os professores apresentam no domínio das diferentes áreas do currículo no Ensino Primário em Angola. A pesquisa revela que são muitos os factores que têm influenciado para que a implementação da monodocência no país não seja um sucesso e que se deve adoptar novos mecanismos para superar tais dificuldades que os professores apresentam.
O oitavo artigo “Os principais desafios no modelo de formação de professores de 10ª classe + 3”, da autoria de Sarifa Abdul Magide Fagilde e Odete Afonso Albuquerque Raposo, apresenta uma reflexão sobre os grandes desafios do modelo de formação de professores de 10ª classe +3. Os resultados da pesquisa apontam que os módulos em uso naquele modelo de formação necessitam de ser melhorados; o curso precisa de ser melhor organizado, de modo a fortalecer o formando para lidar com aspectos da monodocência; há necessidade de apetrechar os IFPs com recursos materiais e metodológicos, entre outros.
O nono artigo de Ana Paula Moiane de Sousa, Angelina Berta José Chuquela, Félix Alexandre Nhambe, Fernando Mackenzie Gimo e Pedro António Pessula, intitulado “Para uma política de formação de professores: contribuindo para uma visão sobre o sistema de formação de professores”, os autores fazem uma reflexão sobre as políticas de formação de professores, com o objectivo de contribuir para uma visão sobre o sistema de formação de professores. Constataram que a epistemologia da prática no processo de formação de professores presume-se como a mais válida no processo de formação de professores críticos e reflexivos, que irão atender à diversidade cultural e aos desafios da educação no Século XXI. Consideram que o envolvimento de todos segmentos sociais e a existência de uma política estratégica podem contribuir para a eficácia de formação de professores.
O décimo artigo, Ernesto Mandlate, intitulado “A relevância de cursos como directriz da reforma do ensino superior em Moçambique” avalia o cumprimento da directriz sobre a relevância do Ensino Superior nas leis e políticas deste subsistema de ensino, bem como nos documentos orientadores do currículo nas Instituições de Ensino Superior (IES). Conclui que a nível macro, existem orientações claras sobre a necessidade das IES proverem uma formação relevante para o desenvolvimento do país. Porém, a sua tradução em políticas institucionais ainda pode ser melhorada. Também constatou que, certos cursos, apesar de serem demandados e relevantes, os respectivos planos curriculares não apresentam nenhuma justificação sobre a sua pertinência. A recomendação geral é que estas fraquezas deveriam ser sanadas nas futuras revisões curriculares.
O décimo primeiro artigo é de Chocolate Adão Brás e Miguel Domingos Divovo, intitulado “Ensino Superior em Angola: realidade e desafios na 4ª República”. Os autores têm como objectivo analisar a gestão e funcionamento do subsistema de Ensino Superior em Angola. O resultado da pesquisa indica que os desafios endógenos e exógenos das universidades e Instituições de Ensino Superior públicas em Angola requerem uma transformação interna, em vários domínios, devendo incidir sobre o corpo docente, o corpo discente, a organização dos currículos, as condições técnico-materiais de ensino, a gestão da instituição, a prestação de serviços a sociedade, a investigação e outros.
O démico segundo artigo “Transdisciplinaridade: nova ferramenta na prática pedagógica”, da autoria de Olga Judite Jamisse, tem como objectivo analisar o potencial que os princípios da transdisciplinaridade têm na formação do docente do Ensino Superior (ES), na sua missão de levar o estudante à aprendizagem significativa. A autora considera que na maioria das instituições de formação de docentes do ES em Moçambique a transdisciplinaridade ainda é uma retórica, não acontecendo efectivamente como uma acção pedagógica. Sugere que os formadores efectuem a formação observando os princípios da transdisciplinaridade, em que se implemente a articulação e a integração dos diversos saberes no processo de formação.
O décimo terceiro artigo é de Carla Maria Ataíde Maciel, António Taimo Supeia, Madalena Bive e Telma Luís Nhantumbo intitulado “Mapas de conceitos de Educação/Currículo”. O objectivo principal do artigo é partilhar com a comunidade académica mapas de conceitos de Educação/Currículo que constituem um alicerce para o desenvolvimento de pesquisas no âmbito do Doutoramento em Educação/ Currículo na Universidade Pedagógica. Concluem que o processo de elaboração dos mapas de conceitos pelos doutorandos estimula o pensamento crítico e permite o domínio necessário dos conceitos básicos estruturantes da pesquisa, sendo, portanto, um exercício útil para todos os pesquisadores em fase inicial ou mais avançada da investigação.
O décimo quarto (e último) artigo, é de Longo Pedro Chuva, intitulado: “Estratégias de comunicação para a redução da gravidez indesejada na adolescência em Tete: Caso da Escola Secundária de Chingodzi”. O autor analisa as estratégias de comunicação usadas para a redução de gravidez indesejada em adolescentes da Escola Secundária de Chingodzi, em Tete. O autor conclui que naquela escola há registo de casos de gravidezes indesejadas, no entanto, a escola não possui um centro ou núcleo de aconselhamento em matéria de saúde sexual e planeamento familiar para os alunos. Sugere a criação de um núcleo de aconselhamento e sensibilização na escola e ainda a inclusão nos currículos nacionais de disciplinas de saúde sexual e reprodutiva para fazer-se face a este fenómeno.
Deste modo apresentamos, de forma resumida, os catorze artigos que compõem este númeo da Revista.
Agradecemos a todos os autores por nos terem enviado os seus artigos para publicação.
Desejamos a todos os nossos leitores um Próspero Ano 2018.


Boa leitura a todos!


A Direcção

 

Para baixar clique aqui

Contacte-nos

  • Endereço:
    REITORIA - Rua João Carlos Raposo Beirão nº 135 Maputo, Moçambique

  • Telefone: (+258) 21 30 67 09
    (+258) 21 32 08 60/2

  • Fax: (+258) 21 31 21 13

heraldica2

© 2017 CIUP - Centro de Informática da Universidade Pedagogica. Todos os direitos reservados.