Missão

A UP é uma instituição de ensino vocacional cuja missão estatutária é a formação superior de professores para todos níveis de ensino e...

Leia mais ... 

Visão

O presente PE pretende tornar a UP uma instituíção de ensino superior de referência em Moçambique, com processos de formação, pesquisa...

Leia mais ... 

Valores

Ao presente PE subjazem sete valores que nortearam tanto a elaboração como devem nortear todas as acções enquadradas dele. Esses valores são...

Leia mais ... 

 

EXORTAÇÃO DO REITOR

 

PROJECTO FOTOVOLTAICO PARA IRRIGAÇÃO

O que é COVID-19?

covid 19

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em muitas espécies diferentes de animais, incluindo camelos, gado, gatos e morcegos. Raramente, os coronavírus que infectam animais podem infectar pessoas, como exemplo do MERS-CoV e SARS-CoV.

Ler mais...

Como estudar na UPM

estudar na UP

Bolsas de estudo

Bolsas de estudo

Revistas Científicas

revistas cientificas logo

UP Notícias

UP Noticias

Notícias

O que é COVID-19?

covid 19

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em muitas espécies diferentes de animais, incluindo camelos, gado, gatos e morcegos. Raramente, os coronavírus que infectam animais podem infectar pessoas, como exemplo do MERS-CoV e SARS-CoV.

Recentemente, em dezembro de 2019, houve a transmissão de um novo coronavírus (SARS-CoV-2), o qual foi identificado em Wuhan na China e causou a COVID-19, sendo em seguida disseminada e transmitida pessoa a pessoa.
A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, que apresenta um espectro clínico variando de infecções assintomáticas a quadros graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a maioria (cerca de 80%) dos pacientes com COVID-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas), e aproximadamente 20% dos casos detectados requer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da COVID-19 podem variar de um resfriado, a uma Síndrome Gripal-SG (presença de um quadro respiratório agudo, caracterizado por, pelo menos dois dos seguintes sintomas: sensação febril ou febre associada a dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza) até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:

  • Tosse
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar
  • Perda de olfacto
  • Alteração do paladar
  • Distúrbios gastro-intestinais (náuseas/vômitos/diarreia)
  • Cansaço
  • Diminuição do apetite
  • Dispnéia (falta de ar)

sintomas covid

Formas de transmissão

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contacto próximo por meio de:
  • Toque do aperto de mãos contaminadas;
  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Objectos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, talheres, maçanetas, brinquedos, teclados de computador, etc.

Diagnóstico

O diagnóstico da COVID-19 pode ser realizado a partir de critérios como:
  1. O DIAGNÓSTICO CLÍNICO é realizado pelo médico, que deve avaliar a possibilidade da doença, principalmente, em pacientes com a associação dos seguintes sinais e sintomas:
    • Febre, que pode estar presente no momento do exame clínico ou referida pelo paciente (sensação febril) de ocorrência recente.
    • Sintomas do trato respiratório (por exemplo, tosse, dispneia, coriza, dor de garganta)
    • Outros sintomas consistentes incluindo, mialgias, distúrbios gastrointestinais (diarreia/náuseas/vômitos), perda ou diminuição do olfacto ou perda ou diminuição do paladar.
    Em crianças, para além dos itens anteriores, considera-se também a obstrução nasal, a desidratação e a falta de apetite, na ausência de outro diagnóstico específico.
    Em idosos, deve-se considerar também, critérios específicos de agravamento como: desmaio ou perda temporária de consciência, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e falta de apetite.
    O diagnóstico clínico da doença, também deve ser considerado em pacientes com doença grave do trato respiratório inferior sem causa clara, como é o caso de pacientes que se apresentem em Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Nesta síndrome o indivíduo apresenta-se em dificuldade para respirar ou queixa de pressão persistente no tórax. Em crianças, a SRAG apresenta-se com os sinais e sintomas anteriores, devendo ser observados sinais característicos de esforço respiratório.
  2. O DIAGNÓSTICO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO é realizado pelo médico no qual considera-se:
    • casos de paciente com a associação dos sinais e sintomas supracitados ou SRAG MAIS histórico de contacto próximo ou domiciliar, nos últimos 14 dias antes do aparecimento dos sintomas, com caso confirmado laboratorialmente para COVID-19 e para o qual não foi possível realizar a investigação laboratorial específica.
  3. DIAGNÓSTICO CLÍNICO-IMAGEM:
    • caso de sintomas respiratórios mais febre ou SRAG ou óbito por SRAG que não foi possível confirmar ou descartar por critério laboratorial e que apresente alterações tomográficas.
  4. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL - Caso o paciente apresente os sintomas respiratórios mais febre ou SRAG. O profissional de saúde poderá solicitar os seguintes exames laboratoriais:
    • De biologia molecular, (RT-PCR em tempo real) que diagnostica tanto a COVID-19, a Influenza ou a presença de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) normalmente até o oitavo dia de início de sintomas.
    • Imunológico, que detecta, ou não, a presença de anticorpos em amostras colectadas a partir do oitavo dia de início dos sintomas. Sendo eles:
      • Ensaio imunoenzimático (Enzyme-Linked Immunosorbent Assay - ELISA);
      • Imunocromatografia (teste rápido) para detecção de anticorpos;
      • Imunoensaio por Eletroquimioluminescência (ECLIA).
    • Pesquisa de antígenos: resultado reagente para SARS-CoV-2 pelo método de Imunocromatografia para detecção de antígeno.
  5. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL EM INDIVÍDUO ASSINTOMÁTICO (pessoa sem sintomas) que realizou:
    • Exame de Biologia Molecular com resultado DETECTÁVEL para SARS-CoV-2 realizado pelo método RT-PCR em tempo real.
    • Exame de Imunológico com resultado REAGENTE para IgM e/ou IgA realizado pelos seguintes métodos: Ensaio imunoenzimático (ELISA) e Imunocromatografia (teste rápido) para detecção de anticorpos.

Medidas de prevenção

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

infografia 1

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou higienize com álcool em gel 70% ou com cinza. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho, prédios e instalações comerciais, etc), quando utilizar estrutura de transporte público ou tocar superfícies e objectos de uso compartilhado.
  • Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo. Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de protecção fácil com as mãos não higienizadas. Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado.
  • Mantenha distância mínima de um metro e meio entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adopte um comportamento amigável sem contacto físico, mas sempre com um sorriso no rosto.
  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outros objectos que são utilizados com frequência.
  • Não compartilhe objectos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos.
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
  • Evite circulação desnecessária nas ruas, campos de futebol, ginásios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas.
  • Se estiver doente, evite contacto próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo Ministério da Saúde ou atendimento nas Unidades Sanitárias indicadas e siga as recomendações do profissional de saúde.
  • Durma bem e tenha uma alimentação saudável.
  • Recomenda-se a utilização de máscaras em todos os ambientes. As máscaras de tecido (caseiras/artesanais), não são Equipamentos de Protecção Individual (EPI), mas podem funcionar como uma barreira física, em especial contra a saída de gotículas potencialmente contaminadas.

Sensibilize os familiares, amigos e colegas de trabalho sobre a importância do uso de máscara e da higienização das mãos na prevenção da disseminação do coronavírus.

infografia mascara2 1

Dicas para viajantes:

Caso você precise viajar, avalie a real necessidade. Se for inevitável viajar, previna-se e siga as orientações das autoridades de saúde mais próximas. Ao voltar de viagens de dentro ou fora do país, recomenda-se:

  • Reforçar os hábitos de higiene e protecção como a utilização de máscara, higienização das mãos com água e sabão ou com álcool em gel 70 % ou com cinza.
  • Caso apresente sintomas de gripe, busque atendimento nos serviços de saúde, e evite contacto com outras pessoas.

Se eu ficar doente

Se estiver doente, com sintomas compactíveis com a COVID-19, tais como febre, tosse, dor de garganta e/ou coriza, com ou sem falta de ar, evite c físico com outras pessoas, incluindo os familiares, principalmente, idosos e doentes crônicos. Procure imediatamente as Unidades Sanitárias mais próximas. Após encaminhamento consulte-se com o médico. Uma vez diagnosticado pelo médico, receba as orientações e prescrição dos medicamentos que você deverá usar. O médico poderá solicitar exames complementares. Inicie o tratamento prescrito imediatamente. Mantenha aos agentes da sáude sempre informado da evolução dos sintomas durante o tratamento e siga as suas recomendações.
Uso de máscara o tempo todo. Se for preciso cozinhar, use máscara de protecção, cobrindo boca e nariz todo o tempo.
Depois de usar a casa de banho, nunca deixe de lavar as mãos com água e sabão e sempre limpe a loiça sanitária, pia e demais superfícies com álcool, javel ou outro produto recomendado pelas Autoridades da Saúde para a desinfecção do ambiente.
Separe toalhas de banho, garfos, facas, colheres, copos e outros objectos apenas para seu uso.
O lixo produzido precisa ser separado e descartado.
Evite compartilhar sofás e cadeiras e realize limpeza e desinfecção frequente com javel, ou álcool 70% ou outro produto recomendado pelas autoridades da saúde.
Mantenha a janela aberta para circulação de ar do ambiente usado para o isolamento e a porta fechada; limpe a maçaneta frequentemente com álcool 70%, javel, ou outro produto recomendado pelas autoridades da saúde. Caso o paciente não more sozinho, recomenda-se que os demais moradores da residência durmam em outro cômodo, seguindo também as seguintes recomendações:

  • Mantenha a distância mínima de 1 metro e meio entre a pessoa infectada e os demais moradores.
  • Limpe os móveis da casa frequentemente com álcool 70% ou outro produto recomendado pelas autoridades da saúde.
  • Se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, todos os moradores devem ficar em distanciamento conforme orientação médica.

Contactos do Ministério da Saúde

ficaatento

alovida

Contacte-nos

  • Endereço:
    REITORIA - Rua João Carlos Raposo Beirão nº 135 Maputo, Moçambique

  • Telefone: (+258) 21 30 67 09
    (+258) 21 32 08 60/2

  • Fax: (+258) 21 31 21 13

  • DUNS: 558579373

heraldica2

© 2017 CIUP - Centro de Informática da Universidade Pedagogica. Todos os direitos reservados.